quarta-feira, 26 de agosto de 2015

RESENHA: Half Wild (Meia vida - Livro 2)

Na Inglaterra, onde duas facções rivais de bruxos dividem espaço com os humanos, Nathan é considerado uma abominação. Além de ser um mestiço — filho de uma bruxa da Luz com um bruxo das Sombras —, seu pai, Marcus, é o bruxo mais cruel e poderoso que já existiu. Nesse mundo dividido entre mocinhos e vilões, não ter um lado é pecado. E Nathan não pode confiar em ninguém. Em Half Wild, após descobrir seu dom mágico, mesmo sem ainda conseguir controlá-lo, Nathan se une aos rebeldes da Luz e das Sombras de toda a Europa para derrubar Soul, líder tirânico do Conselho, e os caçadores, cujo domínio se espalhou para além da Inglaterra. O Conselho de bruxos da Luz continua em sua cola e não vai parar até ele ser capturado e obrigado a matar o próprio pai, cumprindo a profecia. Nathan vai precisar encontrar um modo de conviver com seu lado selvagem, descobrir quem são seus verdadeiros aliados e — principalmente — quem é seu verdadeiro amor.

A história me ganhou neste segundo livro. O aspecto político e social se sobrepõe na maioria das vezes ao da magia em si, assim como é mais importante o desenvolvimento do Nathan e sua percepção sobre esse sistema. E é isso que me empolga nesta série: aqui a magia só é plano de fundo para uma questão bem mais importante: a intransigência sobre as diferenças entre as pessoas e a falta de respeito pelo próximo. É quase como ver uma versão bruxa do nazismo.

sexta-feira, 21 de agosto de 2015

SOPA PRIMORDIAL: Sopa de mangás, Sopa de livros, Tag de filmes e Sopa de séries


SOPA PRIMORDIAL

Ingredientes:

3 xícaras de LIVRO
1 MANGÁ
3 HQs
1 MÚSICA
2 colheres de chá de SÉRIES
3 colheres de chá de FILMES
1 colher de sopa de GAMES




Olá!

Depois de mil anos, eis mais vídeos do Sopa Primordial!

sábado, 15 de agosto de 2015

RESENHA: A namorada do meu amigo

“Quando voltou das férias de verão, Cadu não imaginava a confusão em que a sua vida se transformaria. Era para ser um ano normal, mas ele entrou em uma enrascada e está correndo o risco de perder a amizade do cara mais legal do mundo. O que fazer quando a namorada do seu amigo vira uma obsessão para você?
Os churrascos da turma da faculdade talvez ajudem a esquecer Juliana, e, se depender do esforço do divertido Caveira, não faltarão garotas gente boa para preencher o coração de Cadu.
Mas não adianta forçar... Quem consegue mandar no coração? Alice, a irmã de Beto, é só mais uma das dores de cabeça que Cadu tem que enfrentar. A vida inventa cada cilada!”

Esse é o meu segundo contato com a escrita da Graciela, o primeiro livro que li da autora foi ‘Até eu te encontrar’ (resenha aqui). Ai gente a ideia central de ‘A namorada do meu amigo’ é tão legal, a sinopse não fez por merecer. Adorei o modo como a autora iniciou a estória, lembrando a infância dos personagens, do amor não correspondido de Juliana por Cadu. Foi uma fofurinha acompanhar os diálogos inocentes dos dois. (Da Juju pelo menos porque o Cadu era meio malvado rsrs). Eles conseguiram me fazer lembrar da minha época de criança, da minha primeira paixonite por um garoto da rua onde eu morava. Eita época boa!!! #nostalgicamodoon

segunda-feira, 10 de agosto de 2015

RESENHA: Primeiro e único

Shea tem 33 anos e passou toda a sua vida em uma cidadezinha universitária que vive em função do futebol americano. Criada junto com sua melhor amigas, Lucy, filha do lendário treinador Clive Carr, Shea nunca teve coragem de deixar sua terra natal. Acabou cursando a universidade, onde conseguiu um emprego no departamento atlético e passa todos os dias junto do treinador e já está no mesmo cargo há mais de dez anos. Quando finalmente abre mão da segurança e decide trilhar um caminho desconhecido, Shea descobre novas verdades sobre pessoas e fatos e essa situação a obriga a confrontar seus desejos mais profundos, seus medos e segredos.

As personagens da Emily sempre são um show a parte e não é porque tem personalidades incríveis, qualidades louváveis ou são exemplos a serem seguidos. Seus personagens sempre são normais, pessoas que poderiam facilmente estar no círculo de amizades de qualquer um, com defeitos, manias e atitudes por vezes questionáveis, mais muito críveis.

sábado, 1 de agosto de 2015

SORTEIO: Boa noite, estranho


Olá, pessoal!

O livro deste mês é "Poseidon", da autora Anna Banks. Para participar é só seguir as regras e o formulário abaixo:

sexta-feira, 31 de julho de 2015

RESENHA: Boa noite, estranho

“Para Kate Klein, que, meio por acaso, se tornou mãe de três filhos, o subúrbio trouxe algumas surpresas desagradáveis. Seu marido, antes carinhoso e apaixonado, agora raramente está em casa. As supermães do play-ground insistem em esnobá-la. Os dias se passam entre caronas solidárias e intermináveis jogos de montar. À noite, os melhores orgasmos são do tipo faça você mesma.
Quando uma das mães do bairro é assassinada, Kate chega à conclusão de que esse mistério é uma das coisas mais interessantes que já aconteceram em Upchurch, Connecticut, nos últimos tempos. Embora o delegado tenha advertido que a investigação criminal é trabalho para profissionais, Kate se lança em uma apuração paralela dos fatos das 8h45 às 11h30 às segundas, quartas e sextas, enquanto as crianças estão na creche.
À medida que Kate mergulha mais e mais fundo no passado da vítima, ela descobre os segredos e mentiras por trás das cercas brancas de Upchurch e começa a repensar as escolhas e compromissos de toda mulher moderna ao oscilar entre obrigações e independência, cidades pequenas e metrópoles, ser mãe e não ser.” 

SORTEIO: Para todos os garotos que já amei


Oi, gente!

Em parceria com a Editora Intrínseca, vamos sortear um exemplar de "Para todos os garotos que já amei" da maravilhosa Jenny Han. Para participar é só seguir as regras abaixo:

terça-feira, 28 de julho de 2015

RESENHA: Isla e o final feliz

Tímida e romântica, Isla tem uma queda pelo introspectivo Josh desde o primeiro ano na SOAP, uma escola americana em Paris. Mas sua timidez nunca permitiu que ela trocasse mais do que uma ou duas palavras com ele, quando muito. Depois de um encontro inesperado em Nova York durante as férias envolvendo sisos retirados e uma quantidade considerável de analgésicos, os dois se aproximam, e o sonho de Isla finalmente se torna realidade. Prestes a se formarem no ensino médio, agora eles terão que enfrentar muitos desafios se quiserem continuar juntos, incluindo dramas familiares, dúvidas quanto ao futuro e a possibilidade cada vez maior de seguirem caminhos diferentes.

A série em si me passa sempre essa sensação de que o romance, por mais presente e importante que seja, é só o interruptor que liga os personagens e os fazem enfrentar seus questionamentos pessoais. Obviamente me agrada bastante as partes mais românticas, de como eles descobrem as várias coisas em comum, e também o que os fazem tão diferentes um do outro, embora seja o amadurecimento do Josh e da Isla que me faça gostar ainda mais dos dois. 

segunda-feira, 20 de julho de 2015

RESENHA: Para todos os garotos que já amei

Lara Jean guarda suas cartas de amor em uma caixa azul-petróleo que ganhou da mãe. Não são cartas que ela recebeu de alguém, mas que ela mesma escreveu. Uma para cada garoto que amou — cinco ao todo. São cartas sinceras, sem joguinhos nem fingimentos, repletas de coisas que Lara Jean não diria a ninguém, confissões de seus sentimentos mais profundos.
Até que um dia essas cartas secretas são misteriosamente enviadas aos destinatários, e de uma hora para outra a vida amorosa de Lara Jean sai do papel e se transforma em algo que ela não pode mais controlar.

Jenny Han tem uma forma magnífica de escrever e fazer o leitor não querer desgrudar do livro. Já li vários livros da autora e sempre fiquei com essa fixação na história, mesmo quando o caminho que ela tomava não me agradava.

"Para todos que já amei" não é um livro com grande trama, ou que você vai precisar de grande atenção para compreender. Só precisa ter uma certa sensibilidade para ver o quanto o amor é protagonista dessa história e não só de uma forma romântica, mas também se manifestando em forma de vida em família. Uma família muito unida .

quinta-feira, 16 de julho de 2015

RESENHA: Apenas um dia

A vida de Allyson Healey é exatamente igual a sua mala de viagem: organizada, planejada, sistematizada. Então, no último dia do seu curso de extensão na Europa, depois de três semanas de dedicação integral, ela conhece Willem. De espírito livre, o ator sem destino certo é tudo o que Allyson não é. Willem a convida para adiar seus próximos compromissos e ir com ele para Paris. E Allyson aceita. Essa decisão inesperada a impulsiona para um dia de riscos, de romance, de liberdade, de intimidade: 24 horas que irão transformar a sua vida.
Apenas um Dia fala de amor, mágoa, viagem, identidade e sobre os acidentes provocados pelo destino, mostrando que, às vezes, para nos encontrarmos, precisamos nos perder primeiro... Muito do que procuramos está bem mais perto do que pensamos.

É uma história sobre amadurecimento e crescimento. É hora de entender quem é, o que quer da vida, quais são seus objetivos ou pelo menos as coisas que te interessam e o envolvimento da Allyson com o Willem é o estopim para essa fase dela. Afinal, quem não gostaria de ser outra pessoa mesmo que por um dia?